Com 1,4 milhão de casos em todo Brasil, dengue bate record

O recorde anterior, de 2013, era de 1.452.489 pessoas infectadas

Depois de registrar recorde de mortes por dengue no ano, o País acaba de alcançar em 2015 também o maior número de casos notificados da doença desde 1990, quando as estatísticas começaram a ser monitoradas.

Segundo o mais recente boletim epidemiológico de dengue do Ministério da Saúde, foram 1.463.776 casos prováveis da doença registrados de 4 de janeiro até 26 de setembro no Brasil.

O recorde anterior, de 2013, era de 1.452.489 pessoas infectadas.

O número, de acordo com o ministério, é quase o triplo do registrado no mesmo período do ano passado, quando 524.441 pessoas ficaram doentes.

De acordo com o boletim, a alta de registros foi puxada pelo Sudeste, que concentra 64% dos casos. Os quatro Estados da região somaram 937.599 pessoas infectadas.

Em todo o Brasil, 18 Estados registram nível epidêmico da doença ou seja, quando o número de casos por 100 mil habitantes é superior a 300. Só estão fora dessa estatística Piauí, Roraima, Sergipe, Maranhão, Amazonas, Rondônia, Pará, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Neste último, o clima frio atrapalha a reprodução do mosquito Aedes aegypti e o índice de incidência da dengue é o menor do País: 14,5 casos por 100 mil habitantes.

Na outra ponta do ranking, de Estados com as mais altas taxas de incidência da doença, estão Goiás, com 2.120 casos por 100 mil habitantes, e São Paulo, cujo mesmo índice chegou a 1.561. Entre as capitais com as maiores taxas da doença estão Fortaleza, Maceió, Salvador, Rio e Belo Horizonte.

Embora o pico da doença no ano já tenha passado — ele ocorre geralmente entre os meses de abril e maio —, a tendência é que, com a volta das altas temperaturas, o número de casos cresça. Já estão em tendência de alta os Estados do Acre, Roraima, Paraná e Santa Catarina.

Casos graves

Os casos graves de dengue e as mortes por complicações da doença também aumentaram em relação ao ano passado. Segundo o boletim, 1.350 pessoas desenvolveram a forma mais severa da dengue até setembro. O número representa quase o dobro do registrado no mesmo período do ano passado: 693 pessoas.

Nos nove primeiros meses do ano, 739 pessoas morreram de dengue no País, número 75% maior do que o notificado no mesmo período de 2014.

O Ministério da Saúde afirma que fez, em dezembro de 2014, repasse adicional de R$ 150 milhões para Estados e Municípios reforçarem as ações de prevenção. Diz ainda ter feito visitas técnicas nos Estados para auxiliar nos planos de contingência contra a doença.

Fonte: noticias.r7.com
Link: http://noticias.r7.com/saude/com-14-milhao-de-casos-em-todo-brasil-dengue-bate-recorde-27102015

LEIA AQUI

ANS anuncia novos procedimentos que planos de saúde deverão cobrir

Teste rápido para dengue e chikungunya passam a ser cobertos em 2016.
Número de consultas com fisioterapeuta e psicoterapeuta foi ampliado.

A Agência Nacional de Saúde (ANS) divulgou nesta quarta-feira (28), uma nova lista de procedimentos que deverão ter cobertura obrigatória pelos planos de saúde em 2016. Foram acrescentados 21 procedimentos em relação à última lista, entre eles o teste rápido para dengue (o exame atualmente disponível demora 7 dias) e o teste para febre chikungunya.

A nova lista, que começa a valer a partir de janeiro de 2016, inclui a ampliação do número de consultas com fonoaudiólogos, fisioterapeutas e psicoterapeutas.

Pacientes com transtornos da fala e da linguagem, que hoje têm direito a 24 sessões de fonoaudiologia por ano, passarão a ter direito a 48 sessões anuais. No caso da fisioterapia, os pacientes passarão a ter direito a duas consultas para cada nova doença diagnosticada (hoje, têm direito a apenas uma consulta por doença). As sessões de psicoterapia passarão de 12 para 18 por ano.

Os pacientes com câncer de próstata terão à disposição mais um medicamento oral para tratamento em casa. As consultas de nutrição para as grávidas também foram ampliadas: agora elas têm direito a 12 durante o ano.

Entre as novidades do rol de procedimentos da ANS está a possibilidade de aquisição de desfibrilador para evitar morte súbita. Outro procedimento incluído foi o tratamento da incontinência urinária com uso de toxina botulínica (botox).

Os deficientes auditivos também terão uma nova possibilidade de tratamento coberto pelos planos de saúde: um implante que é ancorado no osso.

A agência também anunciou que uma cirurgia na área da oftalmologia, a dermatocalase, deixou de ter cobertura dos planos de saúde, atendendo a uma orientação da Sociedade Brasileira de Oftalmologia. De acordo com a agência, existe um outro procedimento coberto pelos planos que pode ser oferecido a pacientes que necessitarem desse tipo de intervenção.

O anúncio feito nesta quarta-feira é resultado da revisão periódica do Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde e se aplica a 50,3 milhões de consumidores em planos de assistência médica e outros 21,9 milhões em planos odontológicos.

Veja, abaixo, os 21 novos procedimentos de cobertura obrigatória pelos planos de saúde:

Prótese auditiva ancorada em osso
Prótese vibratória auditiva fixada por um pino de titânico ao osso
Implante de cardiodesfibrilador multissítio – trc-d (gerador e eletrodos)
Dispositivo de terapia de ressincronização cardíaca com função de desfibrilação projetado para tratar insuficiência cardíaca

Implante de monitor de eventos (looper implantável)
Equipamento implantado abaixo da pele que é acionado pelo paciente durante os sintomas para diagnóstico diferencial de palpitações, perdas de consciência, dor no peito e outros sintomas

Focalização isoelétrica da transferrina
Consiste em teste, pelo método de isoeletrofocalização, para detecção de todos os subtipos de defeitos congênitos da glicosilação tipo 1

Vitamina e, pesquisa e/ou dosagem
Pesquisa e/ou dosagem da vitamina E para pacientes com ataxia cerebelar

C4D fragmento
Exame de Pesquisa de C4d em amostras de biópsia de rim transplantado para diagnóstico de rejeição induzida por anticorpos

N-RAS
Exame de mutação do gene N-RAS para os pacientes que tenham que utilizar medicação em que conste em bula a análise de presença/mutação dos genes para o início de tratamento.

Laserterapia para o tratamento da mucosite oral/orofaringe
Terapia a laser da inflamação da mucosa. A mucosite é uma inflamação da parte interna da boca e da garganta que pode levar a úlceras dolorosas e feridas nessas regiões. Caracteriza-se por atrofia do epitélio escamoso, lesão vascular, infiltração inflamatória e ulceração. Geralmente ocorre no revestimento mucoso da boca devido a irritantes químicos, quimioterapia ou radioterapia.

Tratamento de hiperatividade vesical: injeção intravesical de toxina butolínica
Aplicação de toxina botulínica no tratamento da urgência de urinar com incontinência urinária e aumento do número de micções e nictúria (necessidade frequente de urinar durante o
dia, noite, ou ambos). É sintoma de hiperativação do músculo detrusor da bexiga urinária que contrai anormalmente com alta frequência e urgência.

Orquidopexia laparoscópica
Procedimento cirúrgico em que um testículo não descido é suturado dentro do escroto em bebês e crianças do sexo masculino. A orquidopexia também é feita para tratar a torção testicular em adultos e adolescentes.

Anticorpos antipeptídeo cíclico citrulinado – IGG (anti-CCP)
Exame laboratorial de sangue utilizado para auxílio diagnóstico de artrite reumatoide. A citrulina (Cyclic Citrullated Peptide) é um aminoácido resultante de modificação da arginina. Anticorpos dirigidos contra a citrulina (anti-CCP) são encontrados em pacientes com artrite reumatoide.

Antígeno NS1 do vírus da dengue
Exame laboratorial de sangue utilizado para auxílio diagnóstico de dengue. Na dengue, muitas vezes o diagnóstico sorológico não é capaz de confirmar casos suspeitos com evolução grave, já que a febre hemorrágica pode ocorrer na janela imunológica, quando as pesquisas de IgM e IgG são negativas. Nesses casos, a pesquisa do antígeno NS1 apresenta sua melhor utilidade, permitindo o diagnóstico nos primeiros cinco dias de doença.

Chikungunya, exame de anticorpos
Exame laboratorial de sangue utilizado para auxílio diagnóstico da febre Chikungunya, que é uma doença viral parecida com a dengue.

Dengue, anticorpos IGG, soro (teste rápido)
Exame laboratorial de sangue, do tipo rápido, utilizado para auxílio diagnóstico de dengue.

Dengue, anticorpos IGM, soro (teste rápido)
Exame laboratorial de sangue, do tipo rápido, utilizado para auxílio diagnóstico de dengue. Tipo de exame continua continuação

Entamoeba histolytica, anticorpos igm – pesquisa e/ou dosagem (amebíase)
Exame laboratorial de sangue para auxílio diagnóstico da amebíase. A infecção pela “Entamoeba Histolytica” pode ser assintomática, causar doença invasiva intestinal ou doença
extra intestinal. O teste é útil, por exemplo, na distinção entre abscessos hepáticos amebianos e piogênicos.

HLA B27, fenotipagem (exame)
Alguns antígenos HLA estão relacionados à presença de determinadas doenças. A associação mais frequente é a das espondiloartropatias inflamatórias, como a espondilite
anquilosante, com o antígeno HLA-B27. A pesquisa também é indicada para identificar risco do acometimento de descendentes. Elevada incidência do antígeno HLA B27 tem sido relatada na síndrome de Reiter, uveíte anterior, artrite reativa e artrite psoriática. Este antígeno não é um marcador da doença, uma vez que está presente em aproximadamente 10% dos indivíduos normais. O resultado deve ser associado aos achados clínicos e radiológico sugestivos destas doenças.

Fonte: g1.globo.com
Link: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/10/ans-anuncia-novos-procedimentos-que-planos-de-saude-deverao-cobrir.html

LEIA AQUI

Tuberculose rivaliza com Aids em número de mortes, alerta OMS

Segundo órgão, 1,1 milhão de pessoas morreram de tuberculose em 2014.
Documento reflete disparidades no financiamento do combate às doenças.

A organização apontou que 1,1 milhão de pessoas morreram de tuberculose em 2014, enquanto que no mesmo período, o HIV/Aids matou 1,2 milhão em todo mundo, incluindo 400 mil pessoas que foram infectadas com as duas doenças.

O diretor do programa de tuberculose da OMS, Mario Raviglione, afirmou que o relatório reflete os grandes ganhos em acesso ao tratamento contra o HIV na década passada, o que ajudou muitas pessoas infectadas a sobreviver. No entanto, o documento também reflete disparidades no financiamento relacionado às duas doenças globais.

“A boa notícia é que a intervenção contra a tuberculose salvou cerca de 43 milhões de vidas desde 2000”, mas uma vez que a maioria dos casos pode ser tratado com êxito, o índice de mortes continua “inaceitavelmente alto”, disse Raviglione em entrevista por telefone.

O relatório traz informações de 205 países e territórios sobre todos os aspectos da tuberculose, incluindo formas resistentes a medicamentos, pesquisa e financiamento.

Entre os estimados 480 mil casos de tuberculose resistente a medicamentos em 2014 –uma superbactéria da doença que resiste às duas mais potentes drogas contra a tuberculose– somente um em quatro foi diagnosticado.

A diretora interina do Médicos sem Fronteiras, Grania Brigden, declarou que o relatório “deve servir como um chamado de alerta de que muito trabalho ainda é necessário ser feito para reduzir os danos dessa doença antiga, mas curável”.

Fonte: g1.globo.com
Link: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/10/tuberculose-rivaliza-com-aids-em-numero-de-mortes-alerta-oms.html

LEIA AQUI

‘Vão adorar’, diz menina ao doar mais de meio metro de cabelo a crianças

Laryssa, de 6 anos, fez doação de cabelo.
‘Tesoura Rosa’ realiza campanha para receber doações em Rio Branco.

A pequena Larissa Mapeano, de seis anos, que cortou mais de meio metro de cabelo para doar a crianças com câncer, entregou oficialmente, as madeixas para os organizadores do projeto “Tesoura Rosa, Meu Cabelo por um Sorriso”.

O gesto da menina chamou atenção de outras mulheres que participam da campanha de doação em um salão de Rio Branco, em parceria com os organizadores do projeto.

Tímida e um pouco assustada com a repercussão de seu ato, Larissa faz questão de aproveitar o dia da campanha para chamar outras pessoas para doarem também. “Vem cortar o cabelo, gente, é para ajudar as criancinhas, elas vão adorar e vão poder ter cabelo”, convida.

A estudante Bárbara da Silva Lopes, de 17 anos, também aderiu à campanha e conta que teve como motivação a madrinha, que luta para vencer um câncer nas trompas.

“Quis participar porque fiz uma promessa que se minha madrinha ficasse boa eu iria cortar o cabelo. Ela ainda não está totalmente boa, mas melhora a cada dia. Além disso, acho que essa é uma causa bonita”, diz.

Sobre o gesto de Larissa, Bárbara diz que se surpreendeu ao ver uma criança tão nova entender a importância da luta de pessoas contra o câncer. “Achei bonito ver uma menininha tão pequena cortando o cabelo para doar. Espero que a criancinha que vai receber minha doação seja muito feliz”, completa.

A empresária Amanda Paiva, de 50 anos, conhecida como Dita, diz que sente orgulho em poder participar desde a criação do projeto Tesoura Rosa, no ano passado. “É gratificante você saber que vai fazer uma criança sorrir”, fala.

Amanda diz que ano passado foram realizados 50 cortes de cabelos que foram destinados para doação. “Esse ano esperamos o dobro, hoje [quarta, 28] o salão está à disposição de quem quiser doar”, diz.

Projeto Tesoura Rosa, Meu Cabelo por um Sorriso
Criado em 2014, o projeto começou a partir de uma iniciativa de um grupo de amigos ligados ao grupo Rotaract Club, do Rotary Club. A intenção do projeto era, inicialmente, arrecadar cabelos para crianças com câncer. A partir da segunda edição, realizada nesta quarta (28), foi decidido que as doações serão feitas para todas as pessoas que têm câncer.

“Queremos chegar no coração das pessoas, venha e doe seu cabelo, é para um bem comum que é fazer as pessoas felizes. Nosso projeto está ganhando cada vez mais colaboradores, e isso é gratificante. É muito bom ver as pessoas fazendo o bem sem olhar a quem. A Larissa esse ano ajudou muito, só temos a agradecer”, explica o coordenador do Tesoura Rosa, Bernardo Neto.

O pai da Larissa, Mayke Mapeano, se diz orgulhoso pelo gesto da filha e agradece o reconhecimento dos idealizadores do projeto. “Hoje ela acordou cedo e estava toda animada para vir entregar o cabelo. Ela diz que não se arrepende e está curtindo o novo tamanho de cabelo. Mesmo tão jovem, tenho orgulho de ela já ter um bom coração e entender a causa das outras pessoas”, finalizou.

Fonte: g1.globo.com
Link: http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2015/10/vao-adorar-diz-menina-ao-doar-mais-de-meio-metro-de-cabelo-criancas.html

LEIA AQUI